Iniciar / Parar trilha

Mortadelo_&_Salaminho.jpg

 Mortadelo & Salaminho    Col/Dubl. Orig

Existe uma dupla de atrapalhados espiões que deixou divertidas lembranças na memória de muita "gente grande". E ela é formada pelos inimitáveis Mortadelo e Salaminho.
Os engraçados personagens, criados pelo espanhol Francisco Ibáñez Talavera, nascido em 1936, em Barcelona, eram, inicialmente, uma paródia de Sherlock Holmes e Dr. Watson. Tiveram sua primeira história publicada em 1958, na revista Pulgarcito, da Editorial Bruguera.
Mortadelo e Salaminho são dois agente-secretos da T.I.A (Técnica em Informações Avançadas). A história da dupla começa quando nasce uma criança estranha. Por lembrar muito uma mortadela, seus pais lhe dão o nome de... Mortadelo!
Quando cresce, ele passa a adorar se disfarçar e assustar a todos. Por isso, Mortadelo e sua família são expulsos de onde moram, indo para outra cidade.
E neste local nasceu outro garoto complicado. Chamado Salaminho, ele demonstra não ter aptidão para nada que não seja aprontar grandes confusões.
Mortadelo, já um jovem, arruma seu primeiro emprego como assistente do Professor Bactério, que desenvolve um experimento com um novo tipo de tônico capilar. O problema é que deixa Mortadelo completamente careca e revoltado!
Quando os dois jovens estão desesperados por um emprego, encontram o anúncio de uma agência que precisa de um chefe e assistente. Ambos mal se encontram pela primeira vez e já saem "na mão", disputando o cargo de chefia, que fica, em definitivo, com Salaminho.
Após falir a agência e destruí-la literalmente, encontram outro classificado: A T.I.A (Técnicos de Informação Avançada) está realizando um vestibular para agente secreto. Embora sejam reprovados em todos testes, como só os dois se apresentaram, conseguem os empregos.
Assim, passam a executar as mais impossíveis missões, sempre fazendo tudo da maneira errada, em meio aos engraçados e originais disfarces usados por Mortadelo, entre eles borboleta, caracol, cavaleiro, polvo, avestruz, ginasta, pescador, músico, árabe, enfim, uma lista que tende ao infinito.
Importantes ainda são os malucos inventos do Professor Bactério, que, salvo raríssimas exceções, nunca funcionam a contento, e a participação do Super, o chefão com pouca paciência da T.I.A, outro que adora, literalmente, socar os heróis.
Uma personagem de sucesso introduzida posteriormente foi a Dona Ofélia, uma gorda secretária da agência, completamente apaixonada por Mortadelo, que não retribui esse amor. Por essas e outras, ela normalmente está correndo atrás da dupla, na tentativa constante de espancá-los.
Entre as boas tiradas das histórias, em diversas missões as mensagens são entregues das maneiras mais absurdas possíveis, sempre se autodestruindo de um modo diferente, logo após serem transmitidas.
Por exemplo, um rádio de pilha japonês, após passar a mensagem secreta ao agente, tem uma portinhola por onde sai um... japonês, que destrói o aparelho a machadadas e vai embora!
Um dos méritos da obra é a impressionante capacidade do autor de criar gags visuais, uma atrás da outra, em seqüências hilariantes. Embora ele se declare fã de Abott e Costello e de Chaplin, é difícil não comparar suas tramas também com séries como O Gordo e o Magro e Os Três Patetas.
Outro ponto divertido é que não faltam participações famosas nas histórias. Entre outros, o Príncipe Charles e o General Pinochet já deram as caras. Super-heróis também costumam fazer rápidas aparições, como o Super-Homem e Tarzan.
Por tudo isso, os personagens extrapolaram os limites de sua terra natal, e são conhecidos em paises como Finlândia, Itália, Dinamarca, Alemanha e Holanda.
No Brasil, a dupla foi publicada pela RGE (atual Editora Globo), numa coleção mensal que saiu em bancas, primeiro em formato grande e depois em formatinho, e também pela Editora Cedibra, em belíssimos álbuns, que causam acirradas disputas comerciais de colecionadores em sebos e sites de leilões virtuais. 
No ano de 1996, a Editora Manole lançou o álbum Mortadelo e Salaminho - Terroristas, número 92 da série espanhola Olé!, com o selo do Gran Premio Salon Del Comics 1994, dedicado ao conjunto de sua obra. Esta edição, com um pouco de sorte, ainda pode ser encontrada em livrarias.
Os personagens continuam fazendo grande sucesso na Espanha, sendo considerados da mesma importância de Tintim ou Asterix. No ano passado, foi lançado por lá o filme La Gran Aventura: Mortadelo y Filemón, que atraiu milhões de pessoas aos cinemas do país.

 

 

 

 

 

Qualidade Boa

 

 

 

 

 

Coletânea

Disco 1 R$ 10
O mágico Magio
O caso dos terroristas
A bola catastrófica
O caso da estátua da liberdade
Há um traidor na Cia.
Testemunha de bomba

Disco 2 R$ 10
Missão canina
O caso de Billy o terrível
Os inventos do professor bacterio
Casos aéreos
O sulfato atômico

Criação de Site