Iniciar / Parar Trilha

Homem_Invisível.jpg

 Homem Invisível     Col/Dub. Original

Em 1.975, a Universal, através da MCA TV, resolveu reativar o tema produzindo um longa para a televisão americana. No filme, um cientista chamado Dr. Daniel Westin descobre como tornar objetos invisíveis e resolve incluir na experiência a si próprio. Quando descobre que sua técnica estaria pronta para ser usada pelo governo para fins militares resolve memorizar a fórmula secreta, destruir o equipamento, tornar-se invisível e fugir. Infelizmente seu projeto de visibilidade falha e ele procura por um cientista amigo (vivido pelo ator Henry Darrow, de Chaparral), que confecciona uma máscara idêntica a seu rosto. Assim, usando a máscara, ele transitaria pelos meios normais da sociedade e, em casos de necessidade, retiraria a máscara utilizando a vantagem da invisibilidade. Dentro desse contexto, o Dr. Daniel Westin e sua esposa Kate Westin passam a trabalhar para a Klae Corporation, obedecendo as ordens de um chefe chamado Walter Carlson.
Para o elenco deste Homem Invisível de 1.975, a Universal recrutou nomes conhecidos de outras séries de TV. Para o papel do Dr. Daniel Westin foi recrutado o ator David McCallum, que entre 1.964 e 1.968 fez fama a nível internacional estrelando ao lado de Robert Vaughn a telessérie O Agente da UNCLE (onde interpretava o espião Illya Kuryakin). Para o papel de Walter Carlson escolheram o veterano Craig Stevens, que havia brilhado entre 1.958 e 1.961 na série de TV Peter Gunn (onde fazia o papel-título). Para o papel de Kate Westin a selecionada foi a atriz Melinda Fee, que havia estrelado em 1.965 o programa Days of Our Lives (onde vivia a personagem Mary Anderson).
O longa que deu origem a série foi exibido na televisão americana ainda no primeiro semestre de 1.975. Dada a boa receptividade, foi iniciada a produção da série de TV. 
A estréia ocorreu em 08/09/75 nos EUA. O programa ia ao ar toda segunda-feira, às 20h. Como os índices ficaram abaixo do esperado e em não havendo sinais de recuperação, acabou sendo cancelado, com um último episódio sendo levado ao ar em 19/01/76. 
No Brasil, O Homem Invisível de 1.958 esteve no ar durante parte da década de 60. Consta que foi exibido na antiga TV Cultura, em tempo que a emissora ainda pertencia ao conglomerado de Assis Chateaubriand. Produzido originalmente em preto e branco, nunca mais foi reprisado. O Homem Invisível de 1.975 já era colorido e foi levado ao ar pela Rede Globo entre março e novembro de 1.976. Curioso como uma série que fracassou nos Estados Unidos conseguiu tanto sucesso entre nós. O programa entrava numa sessão chamada Quarta Nobre e mantinha altos índices de audiência. 
A série foi reapresentada depois pela TV Record e pela TV Manchete. Sua comercialização parece difícil em virtude do número limitado de episódios. Para se ter uma idéia, seria necessário exibir quatro vezes cada episódio para que o programa ficasse um ano no ar sendo apresentado semanalmente.
Truques, Efeitos e Curiosidades
Todos tinham curiosidade em saber como as trucagens eram feitas, tamanha a perfeição alcançada na época. A mágica é antiga: um estúdio inteiro foi pintado de azul. David McCallum usou uma malha colante da mesma cor do estúdio e pintou as partes do corpo que ficaram visíveis com tinta na mesma tonalidade. Com todo o corpo no mesmo tom de azul do estúdio, ficava impossível de localizar o ator, que se deslocava a todo instante. Com esse efeito, só era "visível" aos olhos dos telespectadores aquilo que não estava dentro desse critério de cor. Os produtores resolveram então que além desse estúdio azul haveria um outro normal, onde o restante do elenco gravaria normalmente. Uma vez gravada a seqüência "invisível" no estúdio azul e a seqüência normal no outro estúdio, as fitas eram sobrepostas. Esse sincronismo permitia dar a ilusão de que no ambiente dito normal havia uma pessoa invisível.
As cenas no estúdio normal eram filmadas com bastante antecedência, pois o piso tinha de ser demarcado para que o elenco não invadisse a área que teoricamente McCallum usava no estúdio azul. O uso de computadores - já naquela época - facilitou o trabalho, pois calcularam do alcance das lentes ao seu peso e tamanho!
A série teve efeitos especiais muito mais ambiciosos do que os do clássico de 1.933. As primeiras tentativas na série com McCallum, no entanto, seguiram os métodos tradicionais do cinema, que já eram conhecidos. Mas a prática demonstrou que eles não serviriam para satisfazer o nível de exigência da produção. 
Melinda Fee apareceu depois de O Homem Invisível em séries de TV como A Mulher Biônica e Dallas. Em seus últimos trabalhos aparece como Melinda O . Fee. Atualmente está sumida do cenário televisivo;
Craig Stevens chamava-se na verdade Gail Shikles Jr. Jamais repetiu o sucesso do personagem Peter Gunn, que interpretou entre 1.958 e 1.961. Entre setembro e dezembro de 1.964, estrelou - sem sucesso - a telessérie Mr. Broadway (onde vivia o herói Mike Bell). Depois de O Homem Invisível, apareceu em seriados como Dallas, O Barco do Amor, Assassinato por Escrito, Happy Days e O Incrível Hulk. Consta que faleceu em 10 de maio de 2.000, aos 81 anos, vítima de câncer; 




 

Qualidade Razoável

Coletânea

Disco 1 R$ 10
Arte e diplomacia
Operação Las Vegas
O forte de Tia Margareth

Disco 2 R$ 10
O jogo do poder
Em busca de um rosto

Disco 3 R$ 10
A dinastia Klae
Homem de influência

Criação de Site